Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias de encantar ou talvez não...

Histórias de encantar ou talvez não...

21
Mar21

Sonho de Amor - cap.VI \

Intima

132505218_433459477824611_1466419332764348214_n.jp

Fazia um ano que Joseph tinha partido, George continuava ao lado dela e de Monique, sempre que precisava de um ombro amigo ali estava ele, era isso que ele sentia...ou não? À já algum tempo que começava a ver George com outros olhos, já não era aquele menino acanhado que conhecera, já não era aquele homem de rosto sofrido devido à perda do melhor amigo...à medida que o tempo passava o rosto dele ganhava mais vida, os seus olhos tinham adquirido um brilho intenso, principalmente quando brincava com a pequenina...Será? Será que se estava a apaixonar por ele? Não, era só uma amizade forte mais nada...

- Boa tarde Philipa...

- Olá George não te tinha visto, estás tão sério, aconteceu alguma coisa?

- Vou ter de ir a casa, tratar de uma coisas...o meu pai escreveu-me, precisa de mim para apresentações oficiais...

- Eu também tenho de ir...Jonas ligou-me, as empresas precisam de mim...

- Voltas?

- Não, tudo o que me prendia aqui acabou, esta vida já não é para mim, vi demasiadas mortes e este ambiente também não é bom para a bebé, além disso o pai dela também já partiu...vou voltar para a minha vida real...

- Posso passar por tua casa para vos ver?

- Claro serás sempre bem vindo...

No dia seguinte George foi embora, uma semana depois foi a vez de Philipa se despedir de todos os amigos que tinha feito ali...

20
Mar21

Sonho de Amor - cap.V \ parte 2

Intima

150673226_118608560117903_7497027680410756342_n.jp

Quando voltou ao hospital foi parado pelo médico

- Aconteceu alguma coisa à tenente Solano?

- Não, ela está bem, dentro do possível, está à sua espera no quarto, dei-lhe alta para ir ao funeral, mas com a condição que depois fizesse repouso absoluto...o pai da bebé quer falar consigo...

- Comigo?! porquê?

- Vá falar com ele, ele está muito doente, em fase terminal, não deve durar muito mais tempo...está no meu gabinete...

George entrou e viu um sr de meia idade, muito magro e pálido, assim que ele entrou o sr. abraçou-se a ele a agradecer

- Eu não fiz nada, foi o meu colega que descobriu a sua filha, eu só a tirei de lá...

- Eu sei mas o Sr. tinha perdido o seu colega, e mesmo assim, não deixou a minha bebé para trás, tirou-a de lá e trouxe-a para aqui, infelizmente a mãe dela não teve a mesma sorte, e brevemente ela vai ficar sem pai também, o que será dela? toda a minha família morreu, devia ter sido eu e não a minha mulher...

- Se eu pudesse fazer algo, faria de certeza, mas não vejo o quê?

- Soube que a mulher do seu colega estava grávida e perdeu o bebé...

- Sim é verdade...

- Por favor peça-lhe que fique com a minha filha, assim eu saberia onde ela estava e morreria em paz...

George ficou espantado com o pedido, e disse que não poderia fazer esse pedido a Philipa

- Por favor leve-me até ela eu mesmo o farei...

George olhou para o médico e este concordou com um gesto de cabeça...

- Philipa...

Philipa estava sentada no cadeirão com a cabeça baixa...quando a levantou ficou admirada ao ver tanta gente...

- Que se passa?

- Não se passa nada, não te preocupes...esta é a bebé que o Joseph salvou...

Philipa pegou nela, e esta sorriu para ela, tão linda tão perfeita, os seus cabelinhos eram pretos como carvão e os olhos eram claros certamente ficariam verdes...

- O pai da bebé quer agradecer-te por tudo o que Joseph fez e quer fazer-te um pedido...

- Não tem de me agradecer nada, ele só fez o que qualquer um de nós faria, o que quer o senhor pedir-me?

- O seu marido salvou a minha bebé...e eu agora pedia-lhe que a salvasse novamente...

- Desculpe, não percebi...o que quer que eu faça?

- Deveria ter sido eu a morrer e não a minha esposa, ela tinha a vida toda pela frente para cuidar da nossa menina...eu não vou durar muito mais tempo, estou desenganado pelos médicos e em fase terminal...por isso peço-lhe do fundo do meu coração e em memória do seu bebé...fique com a minha filha...tome conta dela como se fosse sua...sei que lhe dará uma vida boa e eu assim posso morrer descansado...

Philipa ficou espantada com o pedido...olhou para a bebé adormecida em seus braços depois para o pai, que a olhava com um ar suplicante...

- Sinceramente não sei que lhe dizer...

- Por favor eu assinarei tudo o que for preciso...tome conta da minha menina...

- Como se chama ela?

- Monique...

O seu nome, a menina tinha o seu nome...

- Eu tomo conta da sua menina, mas como madrinha...quero que me traga tudo o que tem da sua esposa e seu...prometo que ficarei por perto enquanto o sr estiver por aqui...e a Monique saberá sempre quais serão as suas verdadeiras origens...

- Muito obrigada, ficar-lhe-ei eternamente grato...

20
Mar21

Sonho de Amor - cap.V \ parte 1

Intima

131344923_139872694558151_806760311278630461_n.jpg

Philipa estava nervosa, sentira um aperto no coração, logo depois ouviu pelo rádio que um elemento da equipa do Joseph tinha ficado preso...

Quando o helicóptero pousou e viu George a descer, percebeu logo que algo não tinha corrido bem... George correu para ela e abraçou-a

- Sinto muito Philipa...

Philipa desmaiou...

Quando acordou apercebeu-se que estava no hospital, ao seu lado estava George, ainda com a roupa suja de sangue, sentiu-se aterrorizada George não precisava dizer a nada, os olhos dele diziam tudo...a sua vida tinha sido mais uma vez interrompida, e começou a chorar, ele levantou-se e foi para o lado dela, e abraçou-a com força...Philipa agarrou-se a ele com força, estava a afundar-se e precisava de ser salva...

Foi nessa altura que George se apercebeu que afinal não era uma simples amizade o que sentia por ela, estava completamente apaixonado...queria Philipa com todas as suas forças...

- À quanto tempo estou aqui?

-Dois dias, os médicos acharam melhor manter-te sedada estes dois dias...

- E tu estiveste aqui este tempo todo?

- Sim...prometi...prometi ao Joseph que cuidaria de ti...e do bebé...desculpa contei-lhe...precisava que ele se agarrasse a algo para tentar viver...mas sabia que só um milagre o faria sobreviver...ele ficou muito contente Philipa...

- Ele disse mais alguma coisa?

- Sim...que te amava muito...e pediu que o perdoasses por ser tão egoísta...

- O funeral?

- Amanhã à tarde...a família pediu que o enterrassem aqui...era aqui o mundo dele... não fazia sentido ir para outro lado...chegam amanha de manhã...

- Eu quero ir...

- Estás muito fraca...tiveste uma hemorragia muito grande...

- Por favor leva-me...preciso de vê-lo uma ultima vez...

- Eu vou falar com o médico...se ele autorizar...

- Porquê George...porque voltou ele para trás?

- Ouviu um bebé a chorar...foi graças a ele que o bebé não foi esmagado...

- E como está o bebé?

- Está bem, está aqui na unidade de pediatria...conseguiram encontrar o pai, está com ele  neste momento...é uma menina tem seis mesinhos...

- Ainda bem, fico feliz por eles, Joseph foi um herói...

Philipa encostou  a cabeça na almofada fechou os olhos e chorou até adormecer novamente...

George aproveitou para ir tomar um banho e mudar de roupa...

19
Mar21

Sonho de Amor - cap.IV \ parte 4

Intima

151216468_1883847701774007_1370035218209553947_n.j

George tentou conversar com ele sobre diversas coisas, mas à medida que o tempo passava notava que ele estava cada vez mais cansado, e o raio da ajuda que nunca mais chegava...

- George não sinto as pernas, estou a ficar com frio e com sono, deixa-me descansar um pouco ...

- Não Joseph, não vais dormir, tens de te manter acordado, e tens de viver, e sabes porquê? porque vais ser pai amigo, a Philipa está grávida, não a vais deixar criar o filho sozinha pois não?

- Então sempre é verdade...o coronel já tinha falado nisso...mas eu disse que não...que era impossível porque ela não me tinha dito nada...meu fui tão estúpido com ela...sempre lhe disse que queria subir de escalão primeiro...e agora nem vou subir...nem conhecer o meu filho...

- Claro que vais...vai tudo correr bem...

Tanto George como Joseph sabiam que isso não era verdade, ele estava com uma enorme hemorragia, ainda se mantinha vivo porque a madeira estava a impedir que o sangue saísse mais depressa, assim que fosse retirada só com muita sorte Joseph Sobreviveria...

- Por favor George deixa-me ir agora que é menos doloroso...mas antes promete-me...promete-me que dizes à Philipa que a amo muito...a ela e ao bebé...e por favor George... toma conta deles por mim...

- Prometo Joseph...prometo que nunca a deixarei sozinha...

Mas esta ultima frase Joseph já não ouviu...ao longe George ouvia o som do helicóptero...mas ali...ali quase ao lado George ouviu novamente o choro de um bebé, mais fraquinho mas decididamente era o choro de um bebé...aproximou-se um pouco mais e espreitou por baixo da viga que tinha atingido Joseph, ali estava ele...um bebé com poucos meses...estava vivo porque o pedaço de madeira atingiu Joseph primeiro...o seu grande amigo tinha morrido  mas decididamente tinha salvo aquele pedacinho de gente...

19
Mar21

Sonho de Amor - cap.IV \ parte 3

Intima

126501347_891416258336221_6635435048486275412_n.jp

Durante quatro meses eles conviveram, e tornaram-se os melhores amigos...George sentia-se dividido, por um lado não queria  estragar a amizade que tinha construido com Joseph, por outro não queria faltar à palavra com Philipa, mas o seu segredo podia ser descoberto a qualquer momento, a barriguinha de Philipa já se notava...

- Philipa tens de lhe contar, já se nota

- Eu prometo que conto hoje à noite...

Joseph entrou de rompante em casa:

- George temos de ir, precisam da nossa ajuda já, uma aldeia a norte foi bombardeada, à dezenas de vitimas, entre elas muitas mulheres e crianças...

- Ok, vamos...

Joseph e George saíram a correr...

- Tenente Solano apresente-se ao serviço, preciso que comande as operações no terreno...

- Tenente Solano apresenta-se ao serviço...porquê terreno Sr. posso ir noutro helicóptero e ajudar no local do bombardeamento...

- Não, preciso de si aqui ao meu lado, além disso não quero que nada aconteça nem a si nem a essa criança que carrega na barriga...

- Como é que...

O coronel olhou para Philipa com os olhos cheios de ternura...

- Minha querida, aprendi a gostar de si como uma filha...e claro que olhando para si dá para perceber que essa barriguinha não é de comer muito...

- Disse ao Joseph?

-Sondei-o mas percebi que não sabia de nada, então achei que não seria eu a dizer-lhe...

Joseph e George sobrevoavam a aldeia, só viam fumo e pessoas a gritarem...

- Vamos aterrar ali...

Depois de horas a recolher quem podiam deram por terminadas as buscas, não existiam mais sobreviventes, estavam quase a chegar ao helicóptero quando se deu uma nova explosão, ouvindo-se logo de seguida um bebé a chorar...Joseph voltou para trás, sem ouvir os apelos de George...

- Não vás, pode ser uma armadilha...

- Mas pode também não ser...temos de verificar...

Assim que chegou ao edifício, nova explosão...

George correu para lá, quando chegou verificou que Joseph tinha ficado preso...

- Joseph responde-me, nós vamos tirar-te daí...Levantem, levem os sobreviventes daqui...peçam apoio médico urgente ...digam que um dos nossos ficou preso mas não digam quem...rápido...

- George vai com eles, já não podes fazer nada por mim...

- Nem penses nisso, vou ficar aqui a conversar contigo, vais manter-te acordado a olhar para mim e a contar-me as tuas histórias, mesmo que sejam repetidas, vais falar até a ajuda chegar...

- A Philipa...ela...

- Não te preocupes com a Philipa...ela não vai saber de nada, só quando lá chegarmos contigo vivo e sorridente...

17
Mar21

Sonho de Amor - cap.IV \ parte 2

Intima

150605080_2897114643879148_5203558238017391459_n.j

Quando chegou ao gabinete do coronel o novo sargento já lá estava, não sabia nada dele, a não ser que se alistara aos 18 anos, já tinha uma série de condecorações, agora tinha sido transferido para esta unidade a seu próprio pedido.

-Tenente Bruce, apresento-lhe o nosso novo elemento, Sargento George.

Quando George se virou,  Joseph nem queria acreditar:

- George!

- Joseph...

Os dois abraçaram-se, desde a morte de Verónica e Anthony, tinham tentando manter contacto, mas tinha sido muito complicado, mas mesmo assim tinham-se tornado bons amigos...

- A Philipa também está cá?

- Sim deve estar a chegar, coronel porque não nos disse que era o George que vinha para cá?

- Ao princípio não associei o nome depois quando descobri quem ele era realmente achei melhor não o divulgar.

- Coronel com sua licença, Tenente Solano apresenta-se e pede desculpa pelo atraso...

Ao ouvir a voz de Philipa, George virou-se, quando seus olhos se cruzaram com os de Philipa, tudo voltou: a adolescência,a morte da mãe, o funeral, a voz de Philipa a pedir aos jornalistas que os deixassem em paz...e algo mais despertou dentro dele, ela estava tão linda, ainda mais do que se lembrava...

- George!? Estás aqui!?

Correu para os braços dele com lágrimas nos olhos mas logo se recompôs...

- Desculpa...

- Não faz mal, tentei contactar-te mais vezes, mas a casa real estava a interromper os contactos...

- Bem meus senhores, e senhora, está na hora de começarem a trabalhar, Tenentes eu precisava de lhes pedir um favor pessoal, seria possível que o Sargento George ficar com vocês algum tempo? até estar tudo organizado, afinal ele veio mais cedo que o esperado...

- Claro que não há problema nenhum, não é Philipa...

- Sem problema nenhum, assim também podemos por a conversa em dia nas horas vagas...

- Podes leva-lo e acomoda-lo, enquanto eu vejo com o coronel o plano de instrução para ele?

George acompanhou Philipa, ela estava muito linda, até a farda lhe assentava bem, o perfume era o mesmo que se lembrava da sua adolescência, mas os olhos dela estavam muito tristes...

- Pronto chegamos, não é um luxo, mas penso que dá...

- Sabes bem que nunca fui de ligar a isso, está tudo perfeito...

- E o teu irmão como está?

- Bem, está no exercito, namora com uma miúda, não muito ao gosto da avó, mas pronto, ele tornou-se um pouco rebelde e só faz o que lhe dá na real gana, mas também tem um lado humanitário, esteve a fazer voluntariado em África. E tu como estás? Pareces um pouco triste, algum problema?

Philipa levantou-se atrapalhada, mas a rapidez com que o fez valeu-lhe uma enorme tontura e quase caiu, valeu-lhe a rapidez de George para a segurar...

- Não, tu não estás bem! o que se passa? Sabes que podes falar comigo...

Philipa sabia que podia confiar nele, sentou-se e começou a chorar, George não sabia o que fazer, e o pior Joseph devia estar a chegar e não queria que ele a visse assim...

- Philipa por favor conta-me o que se passa?

- Eu...eu acho que estou grávida George e não sei o que fazer...

- Grávida!? e o Joseph sabe?

- Ainda não lhe disse, ainda à pouco discutimos por causa disso, ele não quer ter filhos para já...

- Mas vais ter de lhe contar, de quanto tempo estás?

- Ainda não sei bem, mas estou de pouco tempo, o Joseph vem aí, eu vou lavar a cara, por favor não lhe digas nada...

- Está descansada, não direi...

- Então George já estás acomodado? Onde está a Philipa?

- Foi à casa de banho, está tudo muito bem, vamos trabalhar?

- Vamos...

 

17
Mar21

Sonho de Amor - cap.IV \ parte 1

Intima

125805965_1148796705539239_8378440143723520037_n.j

Seis anos,à seis anos que o pai tinha falecido, seis anos que a Princesa que todos adoravam tinha tido um triste fim, à seis anos que Philipa dava tudo por tudo, para que nada a afetasse...

Parte da sua vida, o seu passado, fora enterrado com o pai naquele dia, foi naquele dia que Monique morrido para sempre, agora só existia Philipa e a vida que sempre sonhou, tinha chegado na Tenente aos 24 anos, a vida que sempre sonhou, tinha o seu príncipe a seu lado, Ela e Joseph já viviam juntos à três anos e só precisavam de um pouco mais de estabilidade, par finalmente constituir família, embora Joseph quisesse subir mais um escalão, Philipa sentia-se pronta para ser mãe, e até já desconfiava que o ia ser brevemente, era mais um sonho que queria cumprir, mas o assunto normalmente acabava em discussão...

- Amor vamos esperar um pouco mais, sinto que a promoção está quase aí, depois voltamos a falar no assunto...

- Mas porque raio temos de esperar? Ganhamos os dois bem, temos uma vida estável, acho que está na hora...

- Só te peço um pouco mais de paciência, só um pouco mais...Quando falavam do assunto era sempre assim que acabava, mais paciência, será que ele não a amava o suficiente? Ou amava-a demais e não queria partilha-la com ninguém...

- Bem amor, vou receber o nosso novo Sargento vens?

- Vou já, só vou acabar de me vestir.

Joseph saiu, com o pensamento longe: "bolas, um filho agora só iria atrapalhar, ou será que não? Será que estou a ser demasiado egoísta?"

15
Mar21

Sonho de Amor - cap.III \ parte 6

Intima

125932514_1117683028668514_1789179693274473105_n.j

Philipa não reagira à noticia estava petrificada, Joseph abraçou-a carinhosamente mas dos seu lábios só saíram as palavra:

- Peço permissão concedida, o Joseph irá acompanha-la eu próprio tratarei do envio do corpo do seu pai para o Reino Unido no avião militar, Philipa é o seu pai, não é uma das vitimas que tentou salvar e não conseguiu, tem todo o direito de demonstrar o que realmente sente, seja humana pois bem precisa...

Não falou durante todo o tempo que arrumou as suas coisas, nem no tempo que levou a viajem até ao Reino Unido, só quando chegou ao aeroporto e se deparou com um bando de jornalistas é que quebrou o silencio:

- Peço que respeitem a minha farda e principalmente a minha vida privada, tal vos peço que respeitem a privacidade dos filhos da Princesa, este é um momento de dor para todos nós...por favor deixem-nos em paz por algum tempo, já não temos nada de interessante para lhes mostrar, nem motivo para notícias, creio que foram vocês próprios que acabaram com ele...

Quando parou de falar os jornalistas baixaram as câmaras e as máquinas  fotográficas, abrindo caminho para ela e Joseph passarem.

Quando saíram a porta do aeroporto Jonas esperava-os com o carro, quando os viu não conteve as lágrimas, mas Joseph fez-lhe sinal para que nada dissesse...

- Jonas o corpo do meu pai já chegou?

- Sim menina está na capela da igreja, o seu coronel tratou de tudo, quer ir mudar de roupa?

- Não, quero ir ver o meu pai...

Quando chegaram à capela estavam lá mais jornalistas, ao verem-na não se mexeram, um deles dirigiu-se a ela e estendeu-lhe a mão:

- Sargento, os meus sentimentos, ouvimos o que disse, realmente não à desculpa pelo que fizeram, mas nem todos somos iguais, estamos aqui pelo respeito que temos a si e ao seu pai, e por tudo o que já passaram, prometemos não maça-la mais...

- O meu pai sempre foi um bom homem, a única asneira que fez foi ter-se apaixonado...eles amavam-se imenso...foi um amor curto mas lindo, que tanto eu como os filhos da Princesa abençoamos, por favor sempre vos deixamos entrar na nossa vida, deixem-nos agora descansar em paz...

- As suas palavras foram muito bonitas, acha que podemos usa-las na reportagem que vamos fazer?

- Façam o que quiserem, mas não se esqueçam de pedir permissão à casa real, não quero problemas.

Philipa dirigiu-se ao interior da capela...

- Estou muito preocupado com ela Sr. Joseph, não vejo nela a menor emoção, nem a menor dor...

- Ela está a sofrer imenso, mas adotou a frieza a que somos obrigados no nosso trabalho...

Um mês depois quando os negócios do pai estavam já encaminhados, regressou à base e ao trabalho...

 

11
Mar21

Sonho de Amor - cap.III \ parte 5

Intima

125932514_1117683028668514_1789179693274473105_n.j

- Sargento Solano é chamada ao gabinete do coronel.

Era uma linda manhã de Agosto, o sol brilhava, Philipa estava muito feliz, dali a uma semana iria estar nos braços do pai, finalmente, depois de quase dois anos ia ver novamente o pai, Verónica e os meninos, George já tinha quinze anos e Carl treze, o pai e Verónica estavam naquele momento em Paris a tratar dos últimos preparativos para o casamento...

Que saudades...que quereria o Coronel para a chamar aquela hora da manhã, não se lembrava de ter marcado nada com ele...sempre alegre e bem disposta dirigiu-se ao gabinete do Coronel, Joseph também lá estava e a televisão ligada, um calafrio percorreu-lhe o corpo todo, tinha a certeza que algo de muito mau tinha acontecido, seus olhos dirigiram-se imediatamente para a televisão, mas nem todo o treino do mundo a tinha preparado para o que ouviu e viu na televisão :

"acabaram agora os trabalhos de desencarceramento, confirmou-se o que mais se temia, Princesa Verónica não sobreviveu à violência do impacto, estão neste momento a retirar o corpo do carro... recebemos nova atualização, o noivo da Princesa Verónica, o empresário Anthony Solano faleceu a caminho do hospital...lembramos que a Princesa Verónica e Anthony Solano, assim como o motorista do carro faleceram hoje num túnel de trânsito, em Paris quando numa curva apertada o carro despistou-se e embateu com violência na parede, sabe-se que tentavam fugir dos paparazzis que os vinham a perseguir constantemente desde que tinham chegado a Paris para tratarem dos últimos preparativos para o casamento..."

11
Mar21

Sonho de Amor - cap.III \ parte 4

Intima

137230455_116418093671625_8159469343260469240_n.jp

Aquele mês passou a correr, faltava um dia para partirem, quando falaram pela primeira vez naquilo que iam enfrentar:

- Joseph, como é aquilo?

- Os primeiros meses são espetaculares, aprendemos tudo o que temos de fazer teoricamente, aprendemos a pilotar e o que fazer em caso de acidente, depois passamos à prática, esta parte é mais assustadora.ao princípio temos de fazer algo errado, mas quando estamos realmente em campo. no meio de um acidente, não pensamos, agimos conforme a intuição, a salvação das vítimas está à frente da nossa própria e fazemos tudo o que está e não está ao nosso alcance, por vezes conseguimos outras infelizmente não, quando conseguimos ganhamos louvores, quando não conseguimos, levamos uma pancadinha nas costas e ouvimos: "para a próxima será melhor", mas o fracasso fica sempre na nossa memória...

- E se eu não conseguir?

- Vais conseguir, não te preocupes, ao princípio todos pensamos que não conseguimos, mas depois é intuitivo, como somos namorados, não podemos ficar na mesma equipa, não seria ético, mas a equipa do Frost é boa e vais-te dar muito bem, qualquer coisa também estou por perto...

Abraçaram-se e amaram-se mais uma vez debaixo daquela árvore.

O dia seguinte foi duro para todos, ao contrário do namorado que só esteve seis meses fora, Philipa ia estar cerca de um ano, ou mais, conforme corressem as coisas, os confrontos estavam em alta e precisavam de todos os soldados disponíveis...

No espaço de um ano Philipa já era sargento...

Sabia pelas poucas noticias que tinha que o assédio ao seu pai e à Princesa continuava, além disso tinham marcado já o casamento, logo que Philipa pudesse tirar uma licença...

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub